bootstrap templates

DICAS

Algumas dicas para o dia à dia de seu pet...

Cuidados com seu cãozinho no verão

Cães e gatos, além da pelagem, que piora a sensação de calor, não possuem glândulas de suor, ou seja, eles não suam como as pessoas. O mecanismo da sudorese faz com que a temperatura do organismo diminua. Sem esse recurso, os animais ficam de boca aberta no calor, ofegando, isto é, fazendo com que o ar frio entre e resfrie seu corpo. Quanto mais ofegantes estão, mais calor estão sentindo. Com essas 'desvantagens', dá para concluir que os animais podem passar maus momentos com o calor extremo. As raças de cães muito peludas e adaptadas a invernos rigorosos sofrem ainda mais, pois além da pelagem e a falta de glândulas de suor, possuem uma camada de gordura sob a pele, para protegê-los do frio. Para garantir o bem-estar dos animais no verão, passamos algumas dicas:

  • Deixe água fresca e, se possível, resfriada (não gelada), no bebedouro do cão. Vá trocando durante o dia. Alguns cachorros costumam bater as patas dentro do recipiente de água para se molharem quando está calor. Não há problemas nisso, mas observe sempre para que o cão não fique sem água.
  • Não passeie com o animal nos horários quentes do dia. Além do calor, ele pode queimar as patas no piso. Leve-o para a rua em momentos mais frescos (início e final da tarde) e ande em lugares sombreados.
  • JAMAIS deixe o cão preso dentro do carro, mesmo se os vidros ficarem semi abertos. O animal pode superaquecer e passar mal.
  • Não use focinheiras fechadas para passear com o cachorro. Se tiver que utilizá-las, opte por modelos arejados que permitam que o cão fique com a boca aberta em seu interior.
  • Se a raça de seu cão pode ser tosada, diminua bastante a pelagem dele durante o verão. Nessa hora é mais importante o bem-estar de seu animal do que a beleza.
  • Quem mora em regiões quentes nunca deve optar por raças adaptadas ao inverno (Husky siberiano, Malamute do alaska, Bernese, etc..). Mas se já fez essa escolha, seu cão pode necessitar de ar-condicionado ou ventilador no verão para suportar o calor, caso esteja extremamente ofegante. Aqui não se trata de "cuidar de bicho como gente" e sim adequar a temperatura ambiente àquela que o animal possa suportar.
  • Observe que o local onde o cachorro fica tenha sempre uma parte sombreada durante o dia, independente da casinha de cachorro. Esta é um local extremamente quente para o cão ficar sob o sol.
  • Atenção especial para cães que adoram a água, como os labradores. Eles podem entrar em piscinas para se refrescarem e não conseguirem sair depois, o que causa afogamento.
  • Se o seu cão estiver extremamente ofegante num dia quente, dê um banho frio para diminuir sua temperatura. Ou molhe seu corpo para refrescá-lo.
  • No caso das aves, deixe uma vasilha rasa com água, para que o pássaro possa tomar banho e se refrescar. A gaiola deve ficar sempre à sombra.
  • Pequenos roedores como hamsters podem sentir muito calor no verão. Deixe a gaiola num local fresco, sombreado e arejado durante o dia.

Os sinais que nos mostram que o animal está com muito calor são bem fáceis de observar: boca aberta e respiração ofegante, deitar-se em locais com piso frio com as patas traseiras abertas, beber muita água (nos dias quentes) e procurar sempre a sombra. Garanta que o verão seja uma época agradável para o seu melhor amigo.

• Silvia C. Parisi • médica veterinária - (CRMV SP 5532)

Alguns motivos para passear com seu cachorro

Frequentemente ouvimos donos de cães duvidando e questionando a real necessidade dos passeios diários com os peludos. Não é raro a gente ouvir coisas como:
•  Minha casa é grande, ele tem acesso a tudo.
•  Tenho um quintal amplo, ele pode correr e brincar quanto quiser.
•  Ele nunca fica sozinho em casa, sempre tem gente prá ficar com ele.
•  É claro que ele pode fazer xixi em casa, o jornalzinho está sempre pronto.
•  A gente sai de carro e de vez em quando ele vem com a gente.
Bem, essas e outras frases fazem parte da rotina de muitos donos de cães. É claro que não fazem por mal, mas há muitos motivos importantes para levar seu peludo para passear. Com certeza ele terá uma melhor qualidade de vida em todos os aspectos.

Um cachorro que tem acesso à casa toda é muito bom, mas se o único mundo que ele conhece é sua casa, prepare-se para ter um vigia tempo integral. O grande problema desses cães é que o mundo ao redor torna-se ameaçador. O cachorro só conhece sua casa e as pessoas que moram com ele, ou seja, ele não vai ser sociável o suficiente para viver em sociedade. Cada vez que ele tiver que sair ( veterinários, viagens, etc ), vai ser um estorvo para os donos, pois a atenção terá que ser dobrada e os cuidados redobrados.
A socialização do cachorro é fundamental para qualquer situação. Muda desde a maneira dele se comportar na rua ou em lugares estranhos até a maneira como ele recebe visitas em casa. Quem já passou pela experiência de visitar amigos que tenham um cachorro que não foi devidamente socializado sabe o quão desagradável se torna essa situação. Então, donos que amam seus peludos, nada como passeios diários para torná-lo amado pelos seus amigos também.
Esse é apenas um dos vários motivos. Para quem pensa que tem um quintal grande e o peludo vai correr e brincar o dia todo, más notícias. O cachorro só corre e brinca pelo quintal quando estimulado, ou seja, quando alguém fica com ele jogando bolinha, fazendo companhia e correndo, ou simplesmente, em outras palavras, obriga-o de forma gostosa a fazer exercícios. Um outro cão pode ser também estimulante, mas nesse caso você deve ter vários outros cuidados.
A falta de caminhadas diárias pode tornar o cão hiperativo e destruidor. O cão tem uma energia quase inesgotável e, se ele não gastar pelo menos um pouco dessa energia nesse tipo de exercício, pode direcioná-la para outras atividades, na maioria das vezes politicamente incorretas como por exemplo destruir móveis, roer batentes, portas, mesas e cadeiras ou simplesmente correr alucinadamente pela casa correndo o risco de, além de derrubar tudo, se machucar.
Na verdade, existem inúmeras razões para tornar o passeio com o peludo parte da rotina diária de vocês, inclusive o vínculo que se fortalece quando o animal sabe que vai passear com você, que será uma atividade agradável entre ele e o dono, uma troca, um momento que eles dividem, além disso, ninguém pode negar que uma caminhada é extremamente saudável para os bípedes também.
Bem, todos os cães, independente de raça, precisam de uma dose diária de exercícios para manter a forma e a saúde. A quantidade desse exercício varia de acordo com raça, idade e tamanho.
Na verdade, conforme você for fazendo dos passeios uma rotina, você mesmo vai perceber as necessidades de vocês dois. Inclusive se você for sempre aos mesmos lugares, terá muitas trocas de experiência com outros donos que também frequentam esses mesmos lugares. Depois você vai perceber que o cachorro é um excelente relações públicas nos passeios, isso já deu até casamento...
Quando você adquire um cachorro, adquire junto uma lista de responsabilidades e uma nova rotina. Alimentação, carinho, cuidados, banhos, visitas ao veterinário, inclua nessa rotina seus passeios diários. O cachorro é resistente a variações climáticas, então nada de se acomodar porque tá muito frio ou ficar com preguiça porque tá muito calor. Com certeza seu peludo vai curtir e agradecer com muito carinho.
Bem, agora um assunto que gera muitas discussões, a coleira. Evite sair com seu cachorro solto. Eu sei que é realmente gostoso andar com o cão ao nosso lado sem guia, dá uma sensação de poder, amor incondicional, parceria e reciprocidade. Mas tenhamos sempre em mente que o cão, assim como todos os outros animais, é imprevisível. Qualquer coisa que chamar a atenção dele pode fazê-lo sair em disparada, principalmente se a "coisa" em questão for uma sedutora cadelinha no cio e seu animal for um conquistador. Pode aparecer um pequeno animal que lhe chame a atenção e, nessa hora, o instinto de caça fica mais aguçado. Pode um cachorro bravo estar passeando na guia e o seu vai dar um "oi, amigo" e sair machucado. Tudo isso sem contar a quantidade de cachorros atropelados que vemos por aí.
Se a sua reclamação é que o cachorro puxa muito e você se cansa demais, nada como um bom treinamento para fazê-lo andar ao seu lado. Procure conhecer a coleira Gentle Leader, que não deixa o cachorro puxar, não enforca o animal e ao mesmo tempo age mostrando que você é o líder da matilha, sem acabar com nossos braços. Alguns veterinários brasileiros já conhecem e indicam seu uso.
Bem, se você se animou e resolveu virar um atleta junto com seu cão, leve-o ao veterinário e certifique-se que ele não tenha nenhum problema cardiológico ou respiratório, assim como nas juntas ou ossos. De preferência avise que você vai começar com essa atividade e peça um check-up do seu companheiro.
Agora é só juntar os acessórios, colocar seu tênis mais confortável e começar e se divertir. BOM PASSEIO !!!!!!!
PS: Não se esqueça do saquinho para catar os "presentes" que nosso amigo deixa pelo caminho.
Sheila NiskiTreinadora especializada em comportamento canino

Manual do Filhote

A primeira coisa a fazer quando pegar o filhote é levar ao seu veterinário de confiança.
Para isso, alguns cuidados devem ser tomados:
As orientações contidas aqui têm pôr objetivo auxiliar o novo proprietário no manejo diário e adequado do filhote. POR FAVOR, LEIA COM ATENÇÃO!
LEMBRE-SE: Filhotes são seres vivos, frágeis, sentem dor, manifestam sentimentos, podem e devem ser educados, comportam-se de acordo com o tratamento que recebem das pessoas com quem convivem, necessitando de um ambiente adequado. Têm necessidades fisiológicas (defecam e urinam), assim como exalam odor característico da espécie.
Hoje é a primeira noite do filhote em seu novo lar, trate-o com carinho e paciência, assim você estará ajudando-o a superar o momento de afastamento de seus irmãos, mãe e pessoas com quem estava acostumado.

ALIMENTAÇÃO: Alimente o filhote com ração de boa qualidade própria para a sua idade e indicada pelo CANIL. Evite trocas bruscas na alimentação, isto poderá ocasionar diarreia no filhote. Quando a troca for necessária, deverá ser feita gradativamente. Uma troca eficiente levará de 5 a 10 dias.
A melhor ração para o seu animal é aquela capaz de suprir suas necessidades diárias de nutrientes e, que não causem diarreia no filhote. Nem sempre as rações mais caras são as melhores para o seu filhote. Na eventual falta de ração, poderá ser oferecido arroz branco bem cozido com carne moída magra ou frango, cozidos sem gorduras ou condimentos. Verduras, frutas e legumes podem ser oferecidos esporadicamente.
EVITAR: Frutas ácidas e gordurosas.
- Alimente o filhote três à quatro vezes ao dia, ou deixe ração à vontade.
- Ofereça água filtrada ao filhote.
- Nunca dê leite ao filhote.
- Ossinhos comestíveis, biscoitos e outros petiscos só devem ser oferecidos após os seis meses de vida do filhote.
- Alerte as crianças a respeito de NÃO oferecer o que comem ao filhote.
VERMIFUGAÇÃO
(Remédio para matar vermes): É extremamente importante que seja feita à cada 21 dias, até que seja concluído todo o programa de vacinação. Uma vermifugação eficaz depende da relação peso do animal X dose X frequência, que devem ser respeitados. Siga a orientação do veterinário.
PREVENÇÃO CONTRA A FILÁRIA
(Verme do coração): A transmissão se dá através da picada de um mosquito infectado, ao contrário do que dizem, o animal poderá ser infectado mesmo que não seja morador da área litorânea, pois existem cães e mosquitos contaminados pôr toda a parte. A prevenção é simples, feita mensalmente durante toda à vida do animal. Consulte o Veterinário para saber sobre os produtos disponíveis no mercado para a prevenção (Endogard ou Cardomec).
VACINAÇÃO
Para que o animal inicie o programa de vacinação e desenvolva imunidade satisfatória, é necessário que esteja livre de endo e exoparasitoses e que esteja saudável. Animais doentes não podem ser vacinados. O programa de imunização deverá ser feito junto ao Médico Veterinário. Não utilize vacinas de procedência duvidosa e mal conservadas. ”ÀS VEZES O BARATO SAI CARO”.
PROGRAMA DE IMUNIZAÇÃO
Idade/Vacina:
• 45 a 60 dias, 1ª dose de ÓCTUPLA.
• Até 90 dias, 2ª dose de ÓCTUPLA.
• Até 120 dias, 3ª dose de ÓCTUPLA + ANTIRRÁBICA.
OPCIONAL: Imunização para a gripe: BRONCHI SHIELD III ( dose única anual) e PNEUMODOG ( duas doses para imunizar). Imunização para Giardíase: GIARDIAVAX (duas doses para imunizar).
“TODOS OS CÃES DEVEM SER REVACINADOS ANUALMENTE, DURANTE TODA A VIDA”.
PASSEIOS
Todos, provavelmente querem passear com o seu novo amigo, mas isto só será permitido 21 dias após a conclusão do programa de Imunização. Tenha paciência. Evite expor seu amiguinho à doenças. Preserve-o.
HIGIÊNE DO ANIMAL
Recomenda-se que os banhos sejam dados a cada 15 dias no mínimo ou no máximo uma vez pôr semana, caso seja necessário. Banhos em excesso podem ocasionar dermatopatias. Proteger os ouvidos antes do banho com algodão embebido com óleo mineral. Usar água morna para o banho e produtos de higiene neutro (xampu ou sabonete). Ao término do banho, remova a proteção dos ouvidos e proceda a higiene dos mesmos com CERUMINOLÍTICO (Epiotic). Evite perfumes de odor forte, podem intoxicar o animal.
Animais de pelos longos devem ser escovados com maior frequência, inicie a escovação precocemente para que o animal se acostume a essa prática. O corte de unhas deverá ser feito quando necessário e pôr pessoa capacitada. As raças que necessitam de TOSA devem ser assistidos por profissionais competentes e habilitados. Cuidado com curiosos. EVITE utilizar produtos parasiticidas nos banhos de rotina do animal, podem intoxicá-lo e levá-lo à morte. Busque sempre a orientação do Médico Veterinário.
IMPORTANTE
Banhos em pet shops somente estarão liberados após 21 dias da conclusão do programa de vacinação.
PULGAS, CARRAPATOS E PIOLHOS.
Só faça uso de produtos parasiticidas seguindo a orientação de um Médico Veterinário. Estes produtos podem intoxicar o animal e levá-lo à morte.
RECOMENDAMOS: Frontline Plus (pipeta) à cada 2 meses
HIGIÊNE DO AMBIÊNTE
Deverá ser feita diariamente com água sanitária, detergente neutro, álcool ou desinfetante próprio para o uso em ambientes com animais. (Sanol Dog , Herbal Vet ou Amonex ). consulte o seu veterinário antes de fazer a opção. Não use: Creolina, Veja, ceras, desinfetantes à base de pinho e eucalipto, removedores de uso doméstico ou não, evitando também o contato do animal com as embalagens destes produtos.
CUIDADO COM O USO DE: Tintas, vernizes, cimento, venenos para matar ratos, baratas e mosquitos assim como as embalagens dos mesmos. Tais produtos se inalados ou ingeridos podem levar o animal à morte.
IMPORTANTE: Não deixe objetos ou brinquedos de tamanho reduzido ao alcance do filhote, pois eles são curiosos e poderão ingeri-los, ocasionando problemas graves.
NÃO permita que o animal tenha acesso à área da PISCINA, poderá ocorrer afogamento. Cuidado com a ingestão de plantas podem ocasionar intoxicações graves.

CLIQUE AQUI e faça o download (PDF)


Ensinando a fazer
xixi no lugar certo

(Alexandre Rossi)

Aromaterapia para
cães que latem

(Dra. Flávia Oliva)


Problemas cardíacos em animais de estimação

(Dra. Flávia Oliva)

Nossos filhotes  em nossas redes sociais. Siga-nos...

Tem interesse em adquirir um amigão?

Deixe seu e-mail.


Siga-nos